Paddy Lowe elogia nova regra de pneus

O diretor-técnico da Mercedes Paddy Lowe diz que a decisão de dar às equipes a escolha de três compostos de pneus contribuiu para um GP da Austrália emocionante.

Pneus médios, macios e super macios estavam disponíveis em Melbourne, e oito pilotos utilizaram todos os três durante a corrida. Cinco estratégias diferentes foram usadas pelos seis melhores pilotos.

“Ter três compostos na corrida, uma mudança que adicionou a incerteza e emoção para a corrida, acho que funcionou muito bem”, disse Lowe.

“Você tem um piloto com pneus médios usados, e outro com super macios novos. É fantástico. E também melhorou o espetáculo da classificação, porque tínhamos um composto mais macio”.

“Como vimos no sábado éramos 2,5s mais rápidos, alguns dos quais pelo desenvolvimento, e outros pelos pneus”.

A Mercedes levantou algumas suspeitas ao focar no pneu médio durante os testes de Barcelona, e foi, portanto, um tanto irônico que a equipe terminou numa dobradinha na Austrália depois de uma decisão crucial de usá-lo na corrida.

Lowe diz que havia uma boa razão para aquele programa de testes.

“Era simplesmente quilometragem. Tínhamos um alvo para fazer 6 mil km, com médios se consegue rodar cerca de 100 km, com macios cerca de 30 km. Com a quota fixada que nos foi dada, tivemos que usar pneus médios, além de quatro conjuntos de macios e três de chuva.

“Preferíamos ter tido mais pneus, e então teríamos acrescentado muito mais macios. Recebíamos sete ou oito conjuntos por dia – se quer fazer 800 km, você precisa de oito médios”.