“O Brasil é parte deste esporte”, declarou Massa em coletiva para o GP da Malásia

Na última quarta feira a FIA divulgou o calendário oficial da temporada de Fórmula 1 2017, onde o GP do Brasil aparece como uma possível dúvida juntamente com Canadá e Alemanha. Durante a coletiva oficial da FIA para o GP da Malásia realizada hoje, quinta-feira (29), Felipe Massa comentou o assunto sem muitos detalhes.

Perguntado se estava desapontado com a permanência ou não do GP Brasil no calendário, Massa disse: “Bem, para ser honesto, acho muito difícil responder essa questão de maneira adequada.” – já que seus comentários feitos em Junho desse ano não agradaram a organização do GP Brasil e foram prontamente respondidas por Tamas Rohonyi.

E seguiu: “Estamos apenas correndo, não sabemos o que passa por trás dos contratos. As vezes você vê uma pressão sobre um determinado país porque algo não está acontecendo da maneira que Bernie, ou quem decide, gostaria. Sabemos que essas pressões realmente existem.”

Massa também destacou que o GP do Brasil faz parte do calendário da F1 há muito tempo e seria decepcionante, mesmo estando de fora, perder a corrida no Brasil. “O Brasil é parte deste esporte, que é parte da Fórmula 1 desde muito tempo por isso seria realmente decepcionante perder uma corrida aqui no Brasil, mesmo que não esteja lá.  Mas estarei no meu país apoiando os novos pilotos. Eu sei que a situação econômica não está muito boa por lá, por isso talvez haja um pouco de verdade sobre isso”.

“Mas você nunca sabe, talvez seja apenas um pouco de pressão, mas pode acontecer, como vimos que aconteceu no passado na Alemanha. Eu espero que isso não aconteça em São Paulo. Interlagos é uma das corridas mais divertidas, ótima para assistir, então desejo o melhor para eles, para o meu país, para o Brasil e espero que ainda possamos desfrutar de muitas corridas no Brasil.”

Massa afirmou em Junho que seria “bem possível” o Brasil deixar o calendário da F1 já em 2017. Afirmação que não foi bem aceita pelo promotor do Grande Prêmio, Tamas Rohonyi. “Não comente o que não entende”, declarou Tamas a respeito das afirmações feitas pelo piloto na época.