Mercedes protesta por punição a Verstappen, mas depois volta atrás

A Mercedes retirou o protesto que havia feito inicialmente contra a pilotagem de Max Verstappen no GP do Japão, significando que o resultado da corrida deste domingo é agora oficial.

A equipe alemã decidiu protestar contra a natureza da pilotagem de Verstappen durante a fase final em Suzuka ao defender a segunda posição de Lewis Hamilton.

Hamilton, recuperando-se de uma largada muito ruim, lançou um ataque sobre Verstappen na chicane na penúltima volta, com o piloto da Red Bull defendendo a linha de dentro, enquanto Hamilton acabou saindo da pista.

Os comissários começaram a investigar o incidente, mas, com ambos os pilotos tendo deixado o circuito, o painel decidiu atrasar a audiência até quinta-feira do GP dos Estados Unidos.

A decisão foi tomada em interesse da justiça, com os representantes da Mercedes e Red Bull concordando com o adiamento.

Em mais uma reviravolta, a Mercedes decidiu retirar a sua nota de protesto, com Hamilton inicialmente postando nas redes sociais que “não há protesto” e que “um idiota disse que protestamos, mas não é verdade”.

Hamilton rapidamente esclareceu seus comentários, com um documento oficial da FIA confirmando a decisão de retirar seu protesto, menos de 90 minutos depois de enviar sua primeira reclamação.

“Não há protesto da minha parte”, disse Hamilton. “Eu apenas ouvi que a equipe tinha, mas eu disse que não era para fazermos. Somos campeões, vamos em frente. Fim de papo!”

Um porta-voz da Mercedes confirmou que “fizemos isto no interesse de estabelecer um resultado final oficial ainda nesta tarde uma vez que ficou aparente que a audiência não seria concluída hoje”.

Hamilton então segue seu companheiro de equipe Nico Rosberg por 33 pontos com quatro rodadas pela frente.