Mercedes diz que estratégia vencedora da Red Bull não estava no “radar” da equipe

Toto Wolff, chefe da equipe Mercedes, disse admitir que não considerou apropriadamente, colocar Lewis Hamilton na estratégia que levou Daniel Ricciardo à vitória no GP da China.

A rápida decisão da Red Bull, de colocar os pneus macios nos carros dos dois pilotos durante um safety car, contribuiu para a vitória de Ricciardo e uma potencial busca de pódio para Max Verstappen, antes do holandês colidir com Sebastian Vettel.

Hamilton estava entre os dois pilotos da Red Bull quando o safety car apareceu, mas permaneceu na pista, com os pneus médios e já desgastados por algumas voltas. Entretanto, Wolff nega que sua equipe estivesse muito focada na Ferrari e tenha esquecido da Red Bull.

“Não tenho certeza se a Red Bull foi surpreendida pelo seu próprio ritmo, mas nós estávamos e todo mundo estava. Nestas condições (safety car), era a coisa certa a fazer. Mas não estava no nosso radar”, disse Wolff.

Os dados da equipe alemã sugeriam que, os pneus novos não dariam vantagem o suficiente, para compensar as posições perdidas ao sair da pista para entrar nos boxes.

“Nosso cálculo previu que o pneu médio duraria até o final e achamos que colocar um novo macio não nos daria tal vantagem no desempenho”, revelou o chefe alemão.

No GP da Austrália a Mercedes já havia sido “confundida” com dados e software, durante um safety car, o que custou a perda da vitória. Ao final da corrida na China, Damon Hill, ex-piloto da Williams e campeão da F1, sugeriu que a Mercedes está muito focada nos computadores e dispositivos, ignorando o fator e trabalho humano, vital para a vitória da Red Bull segundo ele.