McLaren deve dispensar figuras principais da equipe, diz Whitmarsh

Uma revolta liderada pela equipe de funcionários está sendo preparada ou em andamento na McLaren. Os colaboradores descontentes estão prontos para entrar em contato com o ex-diretor da equipe, Martin Whitmarsh.

Abordado por funcionários, Whitmarsh confirmou que desde que o novo chefe, Zak Brown, assumiu o comando, existem desavenças: “As pessoas da McLaren disseram que me enviariam uma carta sobre a situação. Eu lhes disse para não mandarem para mim, mas para Mansour ”, revelou Whitmarsh.

Um relatório da “Sportmail” afirma que Brown e o chefe de equipe, Eric Boullier, estão cada vez mais desmoralizados perante a equipe da fábrica, enquanto a visão de levar a marca para além da F1, em uma capacidade de produção, é questionada.

Whitmarsh revelou que recentemente se encontrou com seu ex-chefe, o acionista de longa data da McLaren, Mansour Ojjeh: “Precisa de uma grande mudança de abordagem. Há muita política entre as principais figuras. Eu acho que vários deles têm que ir. Expliquei minha visão a Mansour e é para os acionistas decidirem o que fazer”, disse Whitmarsh.

Ele acrescenta ainda que o engenheiro, Tim Goss, foi usado como “bode expiatório”, recebendo a culpa por “não ter todas as respostas” aos problemas do carro da McLaren. O relatório da “Sportsmail” adiciona que a “paciência acabou” na sede, após Eric Boullier admitir que “não sabia explicar a falta de desempenho do carro”, no habitual interrogatório pós-corrida na fábrica de Woking, na última semana.

“Os membros do chão da fábrica ficaram tão furiosos com o que viram, com a incompetência de seus líderes, que planejam alistar apoio à Whitmarsh, como uma última tentativa de ajudar a contornar a equipe em dificuldades”.

Uma fonte disse ao repórter da Sportsmail: “Basta. Uma delegação está sendo reunida”.