Massa quer ficar: “Kubica e Di Resta não podem ser avaliados em carro de 2014”

Testar Robert Kubica e Paul di Resta no carro de 2014 não darão informações suficientes para julgar se estão aptos para a Fórmula 1 em 2018, essa é a afirmação do brasileiro Felipe Massa.

A curta lista da Williams para sua vaga ao lado de Lance Stroll conta com Robert Kubica, o atual piloto reserva da equipe Paul di Resta e também o alemão Pascal Wehrlein.

Di Resta e Kubica obterão testes no carro da Williams 2014 – usado também no programa de Stroll – entre o Grande Prêmio do Japão deste fim de semana e a próxima corrida nos Estados Unidos.

Mas Massa argumentou que um teste em uma especificação mais antiga não seria muito representativo.

“Eu acho que não significa nada para mim”, disse Massa, que está em sua quarta temporada na Williams.

“A Williams sabe 100% o que posso dar para a equipe e mesmo comparando há poucos anos atrás, está completamente diferente.

“Você não consegue avaliar direito.

Ele insistiu que está “muito tranquilo” sobre o seu futuro na F1.

“Estou gostando de fazer o melhor possível nas últimas corridas deste ano, e não sei o que vai acontecer no próximo ano”, disse Massa.

“Estou ansioso para fazer outra temporada. Acho que posso dar muito à equipe como já fiz.

“Mas eu não decido, a equipe decide.

“Eu contribuí muito para minha equipe, e para F1 também, e se as pessoas estiverem felizes eu ficarei”.

Massa reiterou que preferia conhecer seu futuro antes do Grande Prêmio do Brasil em novembro.

“Não temos prazo”, disse Massa.

“Definitivamente, acho que seria bom para o time, e também para mim, se soubermos o que acontecerá antes da corrida no Brasil.

“Vamos ver se isso é possível, mas esperamos que sim”.