Marko: Cockpit da Red Bull preserva originalidade da F1

A alternativa da Red Bull para o ‘halo’ de proteção do cockpit seria melhor no caso de acidentes como o de Fernando Alonso em Melbourne.

Essa é a alegação de Helmut Marko, apesar da alternativa recém-apresentada e defendida pela Red Bull já ter sido descartada pela FIA.

“Se Alonso estivesse ferido ou o carro pegando fogo, o sistema do halo certamente seria, de certo modo, algo negativo”, declarou Marko à emissora austríaca ‘Servus TV’.

Em Melbourne, a Red Bull revelou pela primeira vez imagens de sua proposta; um conceito de para-brisa que deixa a parte superior aberta para uma ‘fuga’ em casa de acidente mais grave.

De fato, Marko alega que, após uma batida, “o piloto pode sair sozinho”, e disse que em um acidente como o de Felipe Massa em 2009, “o halo não teria prevenido de maneira nenhuma as consequências”.

Segundo Marko, o conceito da Red Bull “oferece uma proteção similar, mas o DNA da Fórmula 1 não é completamente destruído. O único ponto negativo é o para-brisa no caso de óleo ou sujeira”.

Entretanto, Massa disse à revista alemã  ‘Auto Motor und Sport’ que acredita que o conceito da Red Bull poderia comprometer a visibilidade quando o piloto olhar para os lados devido aos dois pilares.

A Red Bull confirmou que o conceito pelo menos foi entregue à FIA para análise.

“Com os vários grupos de trabalho, meu palpite é que um dos dois sistemas será implementado”, afirmou Marko. “Em termos de estética, a maioria está do nosso lado”.