Manor não pretende interromper desenvolvimento do seu carro

A Manor se recusa a desistir do carro deste ano antes de virar a sua atenção para o modelo radicalmente diferente de 2017.

A Manor tem feito progressos nesta temporada após a chegada da unidade de potência Mercedes e da transmissão Williams, mas continua a definhar na parte de trás do grid.

O GP de Mônaco destacou as deficiências da equipe, com Pascal Wehrlein e Rio Haryanto ficando em 14º e 15º, respectivamente, os últimos classificados, e com duas e quatro voltas atrás.

Dave Ryan, diretor de corridas, é inflexível que a equipe ainda está aprendendo sobre o seu carro, e acredita que pode fazer melhorias antes de virar a atenção integralmente para 2017.

“No momento, ainda planejamos sobre o carro de 2017”, disse Ryan ao site da revista britânica ‘Autosport’. “Tenho certeza que é o mesmo para todos, embora o nosso não tenha, talvez, tanto esforço quanto algumas das maiores equipes”.

“Mas ainda estamos trabalhando duro no carro de 2016 porque precisamos entender o que nós temos, e temos de extrair o que pudermos para este ano”.

Ryan admitiu que com a Mercedes e Williams fornecendo o motor e a transmissão, as deficiências de Manor estão em seu chassi.