Maldonado ficou “chocado” com a sua dispensa da Renault

Pastor Maldonado revelou que sua demissão de última hora da Renault foi “um choque”.

O venezuelano, substituído por Kevin Magnussen para 2016, confirmou que sua jornada na Fórmula 1 chegou ao fim devido a problemas com seu patrocínio da PDVSA.

“A situação mudou drasticamente dentro de algumas horas e eu me encontrei sem patrocinador, tudo foi consequência disso”, declarou Maldonado à revista italiana ‘Autosprint’. “Não senti raiva, mas não fiquei nem um pouco feliz. Foi um choque”.

O fim da parceria Pastor Maldonado e PDVSA

O patrocínio da PDVSA – petrolífera estatal da Venezuela que vem enfrentando uma crise – a Maldonado era estimado em cerca de 50 milhões de dólares por ano.

Quanto ao que deu errado, ele respondeu: “Sem comentários. São áreas sensíveis que ainda preciso esclarecer. Estou pensando em uma alternativa a fim de continuar correndo”.

“A PDVSA sempre fez um ótimo trabalho e também apoiou outros pilotos e outros esportes. Tenho certeza que esse apoio vai continuar em outros esportes”.