Magnussen revela que Renault tem usado corridas para testar novas peças

A Renault tem usado partes das corridas como sessões de teste para experimentar ajustes já que está muito longe do ritmo.

Kevin Magnussen e Jolyon Palmer foram os mais lentos na classificação do GP da Europa em Baku no último fim de semana.

O dinamarquês largou do pit-lane depois que a equipe trocou a caixa de marchas e fez alterações nos ajustes do carro no parque fechado.

“Percebemos após o TL3 que estávamos muito lentos e fizemos uma alteração completamente diferente no ajuste”, explicou o piloto da Renault. “Nós testamos o carro em um lugar que nunca tínhamos feito antes”.

“Não foi bom, mas foi a coisa certa tentar algo diferente – não porque pensamos que seria muito melhor, mas apenas para aprender. Estamos em uma posição onde precisamos aprender – considere isso um pouco como um teste”.

“Estamos testando no momento”.

Magnussen disse que o foco do trabalho da Renault em Baku tinha sido para resolver “problemas nas zebras”, que também surgiram em Mônaco e Montreal.

“Tem sido um dos nossos maiores problemas e não conseguimos corrigi-lo”, disse ele. “O carro estava muito duro e não parava de pular quando pousava na pista, depois da zebra”.

“O que fizemos corrigiu o problema com os freios, mas também introduziu muitos outros. Portanto, não foi o melhor, mas pelo menos sabemos o que vai resolver o problema dos freios”.