Lowe diz que pilotos não são culpados pela crise na Williams

Paddy Lowe, chefe do departamento técnico da Williams, negou que a crise da equipe esteja sendo agravada pela controversa formação de pilotos da equipe, que vem sofrendo duras críticas por parte de fãs da Fórmula 1 e alguns analistas técnicos.

A equipe britânica, que já foi nove vezes campeã de construtores na categoria e sete vezes carregou o piloto campeão da Fórmula 1, teve uma série de decisões controversas neste ano. Depois de afirmar que Robert Kubica não seria piloto titular da equipe, a Williams favoreceu o novato russo Sergey Sirotkin e Lance Stroll, canadense que tem apenas uma temporada na F1.

Lowe afirma que, devido aos problemas da Williams, a maneira mais fácil de resolvê-los é removendo o “fator humano”, para fazer os devidos testes sobre o carro.

“O que quero dizer é que quando o carro é conduzido por pilotos reais, os pilotos são diferentes e interpretam o carro de maneiras diferentes. Nossos atuais condutores são muito inexperientes, mas estamos felizes com o trabalho deles e eles não estão nos dando nenhum problema em termos de profissionalismo”, disse o responsável técnico durante o GP da China.

Lowe admitiu ainda que, seria fácil para a Williams simplesmente entrar em pânico, mas o trabalho já está em andamento para resolver os problemas do carro de 2018.

“Eu não posso dar um prazo, mas vamos fazer progressos significativos nesta primeira metade da temporada”, disse Paddy Lowe, que corre contra o tempo com a Williams sem conquistar um único ponto em 2018, já estando na lanterna do campeonato de construtores da F1.