Lowe afirma que Williams continua aberta e destaca Massa: “Muito bem cotado”

A Williams afirmou estar ajudando Robert Kubica em sua tarefa para descobrir se é capaz de retornar à Fórmula 1, mas vários pilotos continuam a ser considerados para a temporada de 2018.

Kubica e Paul di Resta testaram recentemente uma Williams de 2014, com o polonês tendo um dia exclusivo em Silverstone antes que ambos testassem um dia cada em Hungaroring durante a semana passada.

O chefe técnico da Williams, Paddy Lowe, disse que “qualquer piloto que ainda não tenha conseguido um contrato” pode ser considerado pela equipe, descartando sugestões de que sua decisão sobre quem deveria se juntar a Lance Stroll no próximo ano se resumiria a Kubica ou di Resta.

“A nossa consideração de pilotos permanece completamente aberta, incluindo Felipe (Massa), que está definitivamente muito bem cotado, entre uma gama de pilotos mais ampla do que os que foram testados”, disse Lowe.

“É obvio com Robert que ele está em uma jornada para determinar se ele pode guiar um carro no nível em que ele guiava no passado. E nós estamos explorando isso com ele, e vendo onde isso nos leva. No caso dele é por isso que nós fizemos dois testes, na verdade”, explicou.

“E com Paul, ele é o nosso piloto reserva há vários anos, e na verdade não lhe demos muita quilometragem.

“Por várias razões, é a última oportunidade que temos de correr nesse carro, então fez sentido dar-lhe algumas milhas também. Foi uma avaliação, é por isso que não usamos outras palavras (como tiroteio), porque claramente não é um carro de F1 atual”, comentou.

Lowe afirma que a Williams “prefere confiar em suas próprias investigações” sobre Kubica, do que tentar basear-se em qualquer informação que veio de seu teste em um carro de 2017 com a Renault após o GP da Hungria.

Ele também acrescentou que Pascal Wehrlein, apoiado pela Mercedes, “absolutamente” continua na disputa, apesar da preferência da patrocinadora Martini por um piloto mais velho.

“Alguém gosta de Pascal, não preciso colocá-lo em um carro, porque ele está em um carro todas as semanas”, acrescentou Lowe.

“O que é mais importante para a equipe é escolher pilotos que demonstrem mais potencial de corrida para 2018.

“Há algumas questões em torno de publicidade, mas se isso acontecesse, tenho certeza de que a Martini entenderia a importância, se fosse o que escolheríamos, de ter a melhor formação para corridas e não para publicidade”, declarou Lowe.

“Nós cruzaremos essa ponte se precisarmos.

“A idade não é um fator no nosso objetivo principal, que é escolher a melhor formação”.

Lowe encerrou dizendo que o pedido de Massa em saber sua situação para 2018 antes do GP do Brasil, dia 12 de novembro, “faz muito sentido” apesar da Williams não se comprometer com o tema.