Kubica: “Piloto até onde meu corpo e minhas limitações permitem”

Robert Kubica explicou seu estilo de direção adaptado, dizendo que pode ser diferente de dez anos atrás, mas o “resultado é o mesmo ou quase o mesmo”.

O piloto polonês retornou à ação na pista, quando pilotou o Williams FW41 durante o primeiro treino livre de sexta-feira, na Espanha. Durante a sessão, a Fórmula 1 registrou sua performance no carro, mostrando através das câmeras onboard, a pilotagem do polonês usando principalmente um braço.

Kubica explicou: “Piloto até onde meu corpo e minhas limitações me permitem. Depois do meu acidente, descobri que para fazer uma curva num carro de estrada, você não tem que agarrar o volante. Você pode usar o atrito para virar”.

“F1 não é um carro de estrada. Mas eu também estive na escola onde eles te dão um pássaro na mão e você tem que segurá-lo para que ele não voe, mas você não pode segurá-lo tão apertado que fique com medo. É assim que você tem que segurar o volante”, disse o piloto.

Ele ainda acrescentou: Quando eu estava correndo no passado, uma vez na Malásia, um dos primeiros fins de semana que eu estava fazendo (com a BMW) em 2006, havia filmagens em que você me viu pilotando com três dedos abertos”, detalhou Kubica.

Segundo o piloto, os engenheiros ficaram chocados: “Eles disseram “por quê?” Eu disse “eu não sei”, provavelmente você não precisa usar todo o poder que tem, você só tem que usar o que é suficiente”, respondeu o polonês ao time.

Ainda de acordo com o piloto, hoje seu estilo se diferenciou: “Parece diferente de 10 anos atrás. E parece diferente para os outros. O resultado é o mesmo ou quase o mesmo”, completou Robert Kubica.