Kimi Raikkonen lamenta corrida difícil e afirma que queria mais do que o terceiro lugar

Depois de duas vitórias triunfos de Sebastian Vettel, Kimi Räikkönen foi o melhor homem da Ferrari no GP da China deste domingo ao receber a bandeirada no terceiro lugar. Numa corrida complicada, o piloto acabou com um ritmo mais rápido do que o segundo colocado Valtteri Bottas, mas não o suficiente para tentar sequer incomodar o compatriota.

Räikkönen começou a sua análise afirmando: “Foi uma corrida bastante difícil e não muito agradável. Larguei bem, mas depois tive que levantar o pé e isso custou-me várias posições. Depois da parada nos boxes o carro estava bom e as sensações eram boas. Nessa fase estávamos atrás, mas conseguia ver os outros carros no fim da reta”.

Na opinião do finlandês, a intervenção do Safety Car foi positiva para o desenrolar da sua corrida e, quanto à luta com Bottas, admitiu que era difícil fazer mais: “O Safety Car ajudou; nesse momento os pneus não estavam gastos. Diria que nos recolocou na corrida. No final estava muito rápido com os pneus médios face aos que estavam usando o mesmo tipo de pneus, mas era muito difícil aproximar-me deles e tentar segui-los. Estava mais rápido do que o Valtteri, mas quando nos aproximamos fica tudo mais difícil, perde-se aderência e muita carga aerodinâmica, sobretudo neste tipo de pista. Por isso não o consegui atacar verdadeiramente”.

O veterano da Ferrari comentou ainda: “Hoje ficamos no terceiro lugar, mas como é óbvio quando se parte da primeira fila está muito longe do resultado ideal. Tentaremos fazer melhor da próxima vez”.