Kevin Magnussen quase aceitou uma oferta no DTM

Kevin Magnussen quase aceitou uma oferta para correr no DTM neste ano, antes de surgir a chance de retornar à Fórmula 1 pela Renault. O dinamarquês correu pela McLaren em 2014, mas foi relegado ao final de 2015 após ter passado um ano como reserva.

Magnussen testou pela Mercedes no DTM e pela Porsche no Campeonato Mundial de Endurance (WEC). No entanto, em janeiro, a Renault (que comprou a Lotus) demitiu Pastor Maldonado devido a problemas de patrocínio e o contratou para correr ao lado de Jolyon Palmer.

“É claro que a F1 estava no topo da minha lista e é claro que você bate em cada porta”, disse o piloto ao site oficial da F1. “Eu sempre vi possibilidades, mas nada que me animasse tanto. Então eu arrisquei dar uma olhada no DTM – e também na Fórmula Indy”.

“Na verdade eu estava muito perto do DTM, uma alternativa que ​​achei bastante tentadora, pois sempre tive uma espécie de ligação com o DTM. Mas acredite, estou feliz por nada disso ter dado certo – não entrei em pânico e assinei um contrato que não seria a minha escolha absoluta, tive a coragem de ficar quieto e esperar por algo melhor. E eu posso dizer agora que estou exatamente onde queria estar!”, prosseguiu ele, que defende o projeto da Renault.

“O que eu entendi é que eles vão seguir um plano de longo prazo – e sua escolha de (jovens) pilotos mostra isso. Se eles tivessem escolhido um campeão do mundo, tal plano não faria sentido”, comentou Kevin Magnussen.

“Eu acho que se você está pensando a longo prazo você precisa investir nos lugares certos, ir com dois pilotos jovens e crescer juntos – isso me soa como um bom plano”, concluiu o piloto.