Kevin Magnussen acredita que classificação é o ponto fraco da Renault

Kevin Magnussen aceitou que a fraqueza principal da Renault até agora em 2016 é o seu ritmo de classificação, no entanto está convencido de que os ganhos precisam ser feitos em várias áreas.

Magnussen marcou os primeiros pontos da Renault do ano com a 7ª posição na Rússia, mas nem ele nem Jolyon Palmer progrediram além do Q2 nas últimas três corridas.

Magnussen diz que a Renault está pagando o preço pela falta de progressos no ano passado, quando a equipe pertencia à Lotus, e espera por melhorias na classificação.

“Parece que a classificação é o nosso ponto fraco, parece que as equipes podem mudar as coisas para a classificação que não podemos”, disse ele. “É uma coisa para trabalhar, mas não é a única coisa, estamos atrás em diferentes áreas e precisamos melhorar no geral”.

“Nós temos um carro que não foi desenvolvido continuamente no ano passado, por isso estamos assim agora, mas temos de ser pacientes e ao mesmo tempo trabalhar duro para recuperar o atraso já que os outros também estão melhorando”.

“O último resultado mostra que é possível marcar pontos e se alguma coisa acontecer, precisamos estar lá para aproveitar”.

Magnussen, no entanto, insistiu que a Renault não está enganando a si mesma em acreditar que o seu resultado na Rússia reflete a sua posição atual na hierarquia.

“Foi um pouco de sorte com muitos pilotos tendo problemas na primeira volta e com um dos pilotos da Toro Rosso não terminando a corrida. Temos de melhorar um pouco antes de chegar ao nosso nível, mas é bom conseguir pontos na tabela”.