Índia pode pedir extradição e prisão de Vijay Mallya

As dúvidas sobre a presença de Vijay Mallya no GP da Austrália do próximo fim de semana parecem ter acabado, mas os problemas do chefe da Force India em seu país estão longe do fim.

Quando mais de uma dúzia de bancos se uniram para recuperar as dívidas após o colapso da companhia aérea Kingfisher de Mallya, eles pediram a apreensão de seu passaporte.

Mas enquanto o processo estava sendo julgado em um tribunal indiano na quarta-feira, ficou claro que Mallya havia deixado a Índia há mais de uma semana.

“Onde está Vijay Mallya?”, questionou uma manchete da Forbes, concluindo que ele provavelmente está na Inglaterra, onde fica a sede de sua equipe de Fórmula 1.

Antes de sair do país, Mallya reagiu com irritação diante das sugestões de que estaria “fugindo”, mas não se sabe ao certo quando ele retornará à Índia.

“Deixe-o aparecer pessoalmente e depositar seu passaporte”, declarou Mukul Rohatgi, procurador-geral da Índia, ao jornal ‘Telegraph’.

Um relato no ‘Economic Times’ acrescentou: “O governo tomará todas as atitudes, incluindo um pedido de extradição se for necessário, para trazer Mallya de volta”.

E um diretor da agência de polícia indiana CBI disse ao ‘Hindustan Times’: “A CBI vai buscar a assistência da Interpol para que Mallya seja detido ou preso pelas autoridades locais de onde ele estiver a fim de que seja deportado para a Índia e participe do devido processo legal”.