Hamilton não considera pensar que Mercedes deixou de ser carro vencedor

Lewis Hamilton está convencido de que não negará sua missão de ganhar seu quinto Campeonato Mundial de Fórmula 1 este ano, apesar de um final de semana abaixo do previsto no GP do Canadá.

O quinto lugar não é onde Hamilton gosta de terminar as corridas, mas essa foi a sua situação, num fim de semana em que ele não se destacou em Montreal. Junto a isso, a Mercedes estava perdendo a potência, uma vez que sua segunda versão de upgrades do motor não esteve disponível.

Os pacotes de atualização não fizeram a viagem, devido a “problemas de qualidade” e, como consequência, as “flechas de prata” simplesmente ficaram “sem poder de fogo”.

O tetracampeão ainda temeu que um problema de superaquecimento o obrigasse a se retirar da prova. Mas ele chegou ao fim, entretanto, o rival Sebastian Vettel venceu a prova.

Hamilton, perguntado se achava que a Mercedes não era mais um carro vencedor, respondeu: “Eu não deixo isso entrar em minha mente. Esse seria o primeiro sinal de fraqueza e minha mente não é fraca. Ainda estou aqui para ganhar e ainda acredito que podemos”, disse ele.

“Não importa onde eu comece no grid, não olho para nenhum piloto e digo ‘posso perder para essa pessoa’ . Eu penso: Como eu posso vencê-los? Como eu posso ser melhor? Eu vou continuar fazendo isso”, acrescentou.

“Eu poderia ter um DNF (abandono) e perder 25 pontos. No entanto, em duas corridas perdemos 18 pontos, então ficámos um pouco para trás desrespeito a isso”, detalhou o britânico.

Como resultado, Hamilton vai para oitava rodada da F1, na França, atrás de Vettel na classificação do campeonato, por um ponto. O britânico havia chegado ao Canadá com uma vantagem de 14 pontos.