Guia F1 2018: Jejum da Ferrari na Fórmula 1 pode completar 10 anos nesta temporada

A equipe mais tradicional da Fórmula 1, a Ferrari, completará jejum de 10 anos na temporada de 2018, caso não vença a briga contra a Mercedes e esteja atenta a “misteriosa” Red Bull.

A primeira corrida da equipe italiana aconteceu em 1950, no Grande Prêmio de Mônaco, juntamente com o primeiro Campeonato Mundial de Fórmula 1. Em 1951 quebrou a hegemonia da Alfa Romeo, que havia vencido todas as corridas da temporada anterior, triunfando na Inglaterra.

(Foto: Divulgação)

Já em 1952 sagrou-se campeã com o italiano Alberto Ascari, que venceria novamente o mundial de pilotos de 1953. Já o primeiro mundial de construtores viria em 1961, com o americano Phill Hill também campeão do mundial de pilotos. Oliver Gendebien, Willy Mairesse, Ricardo Rodriguez também faziam parte da equipe, acompanhados pelo alemão Wolfgang Von Trips, que morreria tragicamente no GP da Itália daquele ano. Um toque com Jim Clark faria sua Ferrari levantar voo na entrada da curva Parabólica e atingir o público – Von Trips e mais quatorze pessoas morreram no acidente.

Sempre envolvida com títulos na Fórmula 1, a Ferrari foi campeã novamente em 1964 com John Surtees conquistando o mundial de pilotos, para depois de 10 anos vencer o duplo titulo em 1975 com Niki Lauda e Clay Regazzoni. Em 1976 (temporada retratada no filme Rush – No Limite da Emoção) Lauda sofre o terrível acidente no GP da Alemanha, recupera-se incrivelmente mas perde o título para James Hunt por um ponto, depois de abandonar o chuvoso GP do Japão. A Ferrari é campeã de construtores naquele ano. Em 1977, Lauda e a Ferrari novamente sagram-se campeões mundiais.

Foto: Scuderia Ferrari/ Divulgação

Em 1979 mais um duplo título: Jody Scheckter campeão acompanhado de Gilles Villeneuve. Seria o último tipo de um piloto Ferrari, para só 20 anos depois Michael Schumacher vencer em 2000. Nos construtores, garantiu os títulos de 1982 e 1983, antes de amargar 15 anos na “fila de espera” para retomar a coroa em 1999, com Schumacher e Eddie Irvine.

Os anos 2000 foram os “anos de glória” da Scuderia Ferrari. Schumacher e Rubens Barrichelo dariam cinco títulos de construtores para a italiana entre os anos de 2000 e 2004. Em 2007 e 2008 mais títulos, o bicampeonato nos construtores com Felipe Massa e Kimi Raikkonen – o finlandês campeão mundial em 2007 e Massa perdendo por um ponto para Lewis Hamilton em 2008. E “foi só”.

Afinal são 16 títulos de construtores e 15 de pilotos, mas a Ferrari pode completar novamente um jejum de 10 anos sem títulos na Fórmula 1 na temporada de 2018. Cabe aos pilotos, Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, “quebrarem a banca”.

As apostas  estão “cravadas” na Mercedes com a Red Bull sendo uma incógnita positiva para a temporada que começa “já” no próximo final de semana na Austrália.

A temporada 2018 da F1 começa no dia 22 de março (quinta-feira) com o primeiro treino livre no Circuito do Albert Park às 22h00.

 

Confira os horários da F1 na Austrália, sempre em TEMPO REAL com a F1Mania (horários de Brasília):

Dia 22 março (quinta-feira): Treino Livre 1 (22h às 23h30)
Dia 23 março (sexta-feira): Treino Livre 2 (02h às 03h30)
Dia 24 março (sábado): Treino Livre 3 (00h às 01h)
Dia 24 março (sábado): Qualificação (03h às 04h)
Dia 25 março (domingo): Corrida (largada às 02h10)

Sebastian Vettel - Ferrari - Barcelona
Foto: AFP PHOTO / JOSE JORDAN

Equipe: Scuderia Ferrari
Sede: Maranello, Itália
Carro: SF71H
Motor: Ferrari
Vitórias: 229
Poles: 213
Mundiais de Construtores: 16 (1961, 1964, 1975, 1976, 1977, 1979, 1982, 1983, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2007, 2008)
Mundiais de Pilotos: 15 (1952, 1953, 1956, 1958, 1961, 1964, 1975, 1977, 1979, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2007)
Chefe de equipe: Maurizio Arrivabene
Pilotos atuais: Sebatian Vettel (#5); Kimi Raikkonen (#7)

 

Ferrari apresenta o SF71H para a temporada 2018 da Fórmula 1. Veja o vídeo:

 

Pré-temporada 2018 F1 – Tempos combinados:

1) Sebastian Vettel (Ferrari) 1m17.182s / Pneus HS
2) Kimi Raikkonen (Ferrari) 1m17.221s / Pneus HS
3) Fernando Alonso (McLaren-Renault) 1m17.784s / Pneus HS
4) Daniel Ricciardo (Red Bull-Renault) 1m18.047s / Pneus HS
5) Carlos Sainz Jr (Renault) 1m18.092s / Pneus HS
6) Kevin Magnussen (Haas-Ferrari) 1m18.360s / Pneus SS
7) Pierre Gasly (Toro Rosso-Honda) 1m18.363s / Pneus HS
8) Lewis Hamilton (Mercedes) 1m18.400s / Pneus US
9) Romain Grosjean (Haas-Ferrari) 1m18.412s / Pneus US
10) Valtteri Bottas (Mercedes) 1m18.560s / Pneus US
11) Nico Hulkenberg (Renault) 1m18.675s / Pneus HS
12) Stoffel Vandoorne (McLaren-Renault) 1m18.855s / Pneus HS
13) Brendon Hartley (Toro Rosso-Honda) 1m18.949s / Pneus HS
14) Esteban Ocon (Force India-Mercedes) 1m18.967s / Pneus HS
15) Charles Leclerc (Sauber-Ferrari) 1m19.118s / Pneus HS
16) Sergey Sirotkin (Williams-Mercedes) 1m19.189s / Pneus S
17) Marcus Ericsson (Sauber-Ferrari) 1m19.244s / Pneus HS
18) Robert Kubica (Williams-Mercedes) 1m19.629s / Pneus SS
19) Sergio Perez (Force India-Mercedes) 1m19.634s / Pneus HS
20) Max Verstappen (Red Bull-Renault) 1m19.842s / Pneus S
21) Lance Stroll (Williams-Mercedes) 1m19.954s / Pneus S
22) Nikita Mazepin (Force India-Mercedes) 1m25.628s / Pneus M

Pneus: HS (hipermacios), SS (supermacios), US (ultramacios), S (macios), M (médios)

 

Número de voltas e distância percorrida por piloto(km):

1. Sebastian Vettel /643 Voltas / Km 2992,74
2. Valtteri Bottas /584 Voltas / Km 2717,601
3. Lewis Hamilton /456 Voltas / Km 2122,271
4. Pierre Gasly /452 Voltas / Km 2102,963
5. Carlos Sainz Jr /444 Voltas / Km 2065,956
6. Max Verstappen /419 Voltas / Km 1950,108
7. Marcus Ericsson /411 Voltas / Km 1913,101
8. Kevin Magnussen /380 Voltas / Km 1768,291
9. Charles Leclerc /375 Voltas / Km 1745,765
10. Esteban Ocon /372 Voltas / Km 1731,284
11. Brendon Hartley /370 Voltas / Km 1721,63
12. Daniel Ricciardo /364 Voltas / Km 1694,277
13. Sergey Sirotkin /354 Voltas / Km 1647,616
14. Nico Hulkenberg /351 Voltas / Km 1633,135
15. Lance Stroll /343 Voltas / Km 1596,128
16. Stoffel Vandoorne /336 Voltas / Km 1563,948
17. Sergio Perez /317 Voltas / Km 1475,453
18. Romain Grosjean /314 Voltas / Km 1460,972
19. Kimi Raikkonen /286 Voltas / Km 1330,643
20. Fernando Alonso /263 Voltas / Km 1224,449
21. Robert Kubica /122 Voltas / Km 567,977
22. Nikita Mazepin /22 Voltas / Km 102,976

 

Número de voltas e distância percorrida por equipe (km):

1. Mercedes /1040 Voltas / Km 4839,872
2. Ferrari /929 Voltas / Km 4323,383
3. Toro Rosso /822 Voltas / Km 3824,593
4. Williams /819 Voltas / Km 3811,721
5. Renault /795 Voltas / Km 3699,091
6. Sauber /786 Voltas / Km 3657,257
7. Red Bull /783 Voltas / Km 3642,776
8. Force India /711 Voltas / Km 3308,104
9. Haas /694 Voltas / Km 3229,263
10. McLaren /599 Voltas / Km 2786,788

 

Número de voltas e distância percorrida por motor (km):

1. Mercedes /2570 Voltas / Km 11958,088
2. Ferrari /2409 Voltas / Km 11209,903
3. Renault /2177 Voltas / Km 10130,264
4. Honda /822 Voltas / Km 3824,593