Grande mudança no regulamento de 2017 pode não acontecer

A Fórmula 1 pode estar prestes a cancelar sua manobra para tornar os carros mais rápidos em 2017.

De acordo com a ‘Auto Motor und Sport’, 30 de abril é a data em que a categoria definiu para aprovar as alterações técnicas, incluindo o aumento da largura dos carros para a próxima temporada.

No entanto, agora há alguma dúvida se a F1 está fazendo a mudança certa, especialmente após o desempenho visto pela atual geração de motores turbo na Austrália.

A pole de Lewis Hamilton (1m23.837s) foi apenas três décimos da marca de Sebastian Vettel de 2011 (1m23.529s), feita com motores V8.

E ambos os tempos são mais rápidos que o de Michael Schumacher, em 2004, durante os chamados “anos de glória” de velocidade em curva e potência dos V10 (1m24.408s).

Hamilton insistiu na terça-feira que simplesmente aumentar a velocidade da F1 não é o caminho para melhorar a categoria.

“Pessoalmente, acho que precisamos de mais aderência mecânica e menos arrasto aerodinâmico, para que possamos aproximar e ultrapassar”, disse ele. “Dando-nos cinco segundos de tempo de volta, nada vai mudar – vamos apenas pilotar mais rápido”.

A revista alemã disse ainda que a visão de Hamilton é apoiada não só por seu chefe técnico Paddy Lowe, mas também por Pat Symonds da Williams e Andy Green da Force India.

Um deles avisou: “Se nos comprometermos com carros mais largos, não há como voltar atrás como com o formato de classificação”.