Fórmula 1 pede desculpas a modelo que deu bandeirada no GP do Canadá

Ross Brawn pediu desculpas a Winnie Harlow, depois que a modelo lançou a bandeirada quadriculada antes do final das 70 voltas, no GP do Canadá.

Segundo a direção da F1, a celebridade não foi a culpada pelo erro. Harlow, recebeu a honra de agitar a bandeira quadriculada no Circuit Gilles Villeneuve. No entanto, ela recebeu a ordem para finalizar o corrida na volta 69 das 70 em Montreal. E enquanto a distância total da corrida foi completada, os resultados de volta contados foram os da volta 68.

Brawn insiste que a culpa não foi de Harlow: “A supermodelo Winnie Harlow foi uma vítima inocente no final da corrida. Ela foi convidada a agitar a bandeira quadriculada, mas foi orientada a fazer após 69 das 70 voltas completadas”, disse o chefe esportivo da F1.

“Fiquei triste em vê-la tão duramente criticada, como explicou o diretor de prova Charlie Whiting, tudo se resumia a um desentendimento entre dois oficiais”, acrescentou.

“Winnie simplesmente seguiu as instruções que lhe foram dadas e eu quero me desculpar pela dor que ela sofreu e agradeço por apoiar a Fórmula 1”, declarou Brawn.

O chefe esportivo da F1 ainda lembrou que, algo semelhante aconteceu na China em 2014, mas nesse caso não foi uma celebridade que agitou a bandeira.

“Como diz o ditado, ‘errar é humano’ e todos nós – condutores, gerentes, engenheiros, mecânicos, jornalistas e fãs – cometemos erros. O importante é aprender com eles e tentar impedir que eles aconteçam novamente no futuro”, explicou Brawn.