Fórmula 1 extinguirá sistema de ‘tokens’ para desenvolvimento de motores

O sistema de ‘tokens’ da unidade de potência da Fórmula 1 será descontinuado a partir de 2017, segundo o site norte-americano ‘Motorsport.com’.

Esta mudança significa que as quatro fabricantes não terão nenhum limite no desenvolvimento, além do fato de só poderem introduzir atualizações quando um piloto utiliza novos elementos.

A mudança foi uma das principais concessões feitas quando as fabricantes concordaram em reduzir seus preços aos clientes em 2017.

Todas as quatro têm agora suas equipes de fábrica e justificarão seus gastos em termos de tornar suas equipes competitivas, sem o custo sendo repassado para as equipes clientes.

Pelo sistema atual, este ano as fabricantes ainda teriam 32 tokens, mas cairiam para 25 em 2017, 20 em 2018 e 15 a partir de 2019 até o final da atual fórmula. Apenas 3 por ano seriam permitidas para os últimos dois anos da fórmula.

“O sistema de ‘tokens’ está sendo extinto”, disse Cyril Abiteboul da Renault. “Uma das razões que todos nós já concordamos em fazer isso, é que precisamos convergir o desempenho dos motores. Uma F1 que é ditada pelo desempenho do motor não é boa para ninguém”.

“Você vê que não é boa para a Mercedes, Renault, Ferrari – todos nós temos interesse em mudar isso. Nós decidimos – também pelo público que fica confuso com o sistema de penalização e tokens – simplesmente extinguir com o sistema de tokens”.