Fiscal não seguiu os procedimentos, afirma a FIA

A aparição de um fiscal na reta principal durante a relargada do GP de Cingapura foi o resultado dos fiscais do circuito não terem seguido os procedimentos da FIA, de acordo com a entidade reguladora da Fórmula 1.

O Safety Car foi chamado quando Nico Hulkenberg e Carlos Sainz Jr. se engancharam na largada, com a Force India terminando no pit-wall.

Quando o carro de segurança foi retirado no final da segunda volta, um fiscal estava atravessando o circuito e chegando ao outro lado pouco antes da passagem do líder Nico Rosberg, da Mercedes.

Mas surgiu então que o fiscal foi instruído por um oficial do circuito para sair pela pista depois que a chamada final foi feita e quando os carros estavam se aproximando.

Um porta-voz da FIA disse ao site inglês ‘Autosport’ que a entidade seguiu seus próprios protocolos, mas os procedimentos não foram “devidamente executados” por um posto do circuito e seus membros.

O porta-voz adicionou: “Nós levamos isto muito a sério. Não estamos tentando colocar a culpa em uma pessoa. Tudo será feito para assegurar que isto não se repita”.