FIA restringe ainda mais as regras de uso do rádio

A FIA aumentou as restrições das comunicações de rádio na Fórmula 1 antes do GP da Hungria deste fim de semana.

Em uma diretriz técnica enviada às equipes da F1 na quarta-feira, a federação alterou significativamente o item número dois da lista de mensagens permitidas.

Anteriormente, ele afirmava: “Indicação de um problema crítico no carro. Qualquer mensagem desse tipo só pode ser usada se a falha de um componente ou sistema é iminente e potencialmente terminal”.

Agora, ele diz: “Indicação de um problema no carro. Qualquer mensagem desse tipo deve incluir uma instrução irreversível para entrar nos pits a fim de corrigir o problema ou abandonar a corrida”.

O item número três das mensagens permitidas, relacionado às “informações sobre danos no carro”, também foi ajustado, e agora afirma: “Informações sobre danos na carenagem do carro”.

Também há um adendo na mensagem quatro dizendo: “Instruções para selecionar modos de pilotagem. Elas devem ter o propósito único de mitigar a perda de função de um sensor, atuador ou controlador cuja degradação ou falha não foi detectada e resolvida pelo software onboard”.

As mensagens agora se referem a todos os momentos em que o carro está fora do pitlane, e não da garagem, como antes: “Com exceção de qualquer momento em que o carro está no pitlane no dia da corrida antes ou entre as voltas de reconhecimento”.

Agora, é com exceção da “volta de desaceleração depois que o piloto cruzou a linha no final da prova”.