FIA não vai voltar atrás sobre a regra dos três motores para 2018

Jean Todt, presidente da FIA, diz que não vai voltar atrás na mudança para três motores na Fórmula 1 que acontecerá em 2018, apesar dos temores de que isso provocará muitas punições no grid.

Christian Horner, chefe da Red Bull, tentou várias vezes mudar o regulamento porque acredita que é uma “loucura total” cortar o número de motores usados quando as fabricantes já tiveram dificuldades para completar este ano com quatro unidades de potência.

No entanto, sem todas as equipes concordando que as regras precisam de alterações – e Sergio Marchionne, presidente da Ferrari, dando pouca atenção à ideia em uma reunião recente do Grupo de Estratégia – qualquer mudança agora é praticamente impossível.

“É algo que foi decidido”, explicou Todt. “Algumas pessoas ainda estão pensando, por que não temos um motor para todo o campeonato? Não é uma coisa nova. Isso foi decidido anos atrás para 2018.

“Tivemos algumas reuniões com as equipes, e levando em conta como o regulamento e a FIA funcionam, precisamos de uma aprovação de 100% para voltar a quatro motores agora.

“E não temos 100% de aprovação, portanto passamos para três motores”, disse Todt.