FIA formaliza regra de motores para 2017 em diante

A FIA confirmou que os novos regulamentos das unidades de potência centrados em quatro temas-chave, foram acordados e formalmente ratificados pelo Conselho Mundial de Automobilismo (WMSC).

O anúncio de sexta-feira chega depois de meses de negociações entre as fabricantes de motores e outras figuras-chave, a respeito de custo e preço de fornecimento, obrigação de fornecer, convergência de desempenho e som.

As alterações já foram aprovadas “por todos os níveis da estrutura de governança da Fórmula 1”, conforme descrito pelo comunicado oficial da FIA, e serão introduzidas a partir do início da temporada de 2017.

 

Alterações nos regulamentos de motores de 2017-2020:

Custo

Foi alcançado um acordo sobre uma redução significativa no preço do fornecimento das unidades de potência para equipes clientes, e uma redução no custo para as fabricantes nos próximos anos.

– Em 2017 o preço por unidade de potência para equipes clientes será reduzido em 1 milhão de euros por temporada em comparação a 2016;

– A partir de 2018, o preço anual de fornecimento será reduzido em mais 3 milhões de euros;

– A redução de custos em unidades de potência será impulsionada por alterações nas regulamentações técnicas e desportivas em 2017 e 2018, com uma redução progressiva do número de elementos da unidade de potência por piloto por temporada.

Fornecimento

O fornecimento de unidades de potência para equipes clientes será assegurado, pois o procedimento de homologação irá incluir uma “obrigação de fornecer”, que será ativado no caso de uma equipe enfrentar uma falta de acordo.

Convergência de desempenho

O novo acordo inclui um pacote de medidas destinadas a assegurar a convergência de desempenho.

– O sistema de fichas de desenvolvimento será removido a partir de 2017;

– Além disso, restrições sobre pesos, dimensões, materiais e na pressão do turbo serão introduzidos em 2017 e em 2018.

Som

As fabricantes estão atualmente realizando um programa de pesquisa promissor para melhorar ainda mais o som das atuais unidades de potência, com o objetivo de implementação até 2018, o mais tardar.