Família da Maria de Villota chega a acordo com a Manor

A família da Maria de Villota chegou a um acordo em sua disputa com a Manor sobre o incidente no qual a ex-piloto teve lesões no olho em 2012.

De Villota, conduzindo um teste em linha reta de Fórmula 1 no aeródromo de Duxford, acertou uma rampa de um caminhão, e ficou cega do olho direito.

A espanhol permaneceu envolvida com o esporte a motor depois disso, mas faleceu em 2013, aos 33 anos, com sua morte ligada aos danos neurológicos causados pelo acidente.

O órgão executivo britânico de Saúde e Segurança investigou o acidente e decidiu que não haveria uma ação a ser tomada contra a Manor, a equipe a qual virou Marussia de 2014 para 2015.

Na quarta-feira, quatro anos depois do dia em que ela faleceu, sua família confirmou que a ação legal contra Manor tinha chegado a um fim, depois de um acordo.

“Foi um acidente trágico que chocou a equipe e todos que a conheciam – ela faz muita falta”, disse um porta-voz da Manor.

Em um comunicado à imprensa distribuído pelo escritório de advocacia Slater & Giordon, a família da Maria de Villota estendeu sua gratidão para aqueles que expressaram seu apoio após a tragédia.

A família irá agora focar no ‘Legado da Maria’, um movimento claro “para dar continuidade aos programas solidários da Maria focados principalmente em crianças com doenças neurodegenerativas e pessoas com recursos financeiros limitados”.

A equipe Manor de Fórmula 1 acabou encerrando suas atividades no começo deste ano, depois de nenhum comprador ter aparecido.