Empresária de Schumacher explica silêncio sobre a condição do piloto

A empresária de Michael Schumacher defendeu o sigilo atual sobre a condição do piloto mais bem sucedido na história da Fórmula 1.

Mais de dois anos após seu acidente de esqui nos Alpes franceses, não se sabe quase nada sobre a saúde do ex-piloto da Ferrari e Mercedes – nem sequer se ele consegue caminhar ou falar.

Ainda assim, Sabine Kehm defende o direito da família de não dizer nada. “No momento, não vejo alternativa”, declarou ela ao jornal ‘Suddeutsche Zeitung’.

Kehm afirmou que, se algum detalhe sobre Schumacher for dado, isso simplesmente abriria as portas para mais pedidos de informações.

“Cada palavra provocaria novas exigências; seria como um farol para novas informações. Nunca chegaria ao fim”, insistiu ela.

De qualquer maneira, Kehm disse que seria impossível “responder em algumas sentenças” todas as perguntas depois que Schumacher sofreu suas lesões no cérebro, já que sua recuperação é “um processo contínuo”.

E ela tem certeza que seu chefe gostaria que sua privacidade fosse respeitada. “A vida particular de Michael era sagrada para ele até mesmo antes do acidente, e todos aceitavam isso”, concluiu Kehm.