Ecclestone propõe solução para a F1: “Eu devo ser um ditador”

Depois das polêmicas declarações sobre a possibilidade em ver mulheres pilotando um Fórmula 1 por serem “fisicamente incapazes”, Bernie Ecclestone foi além em suas declarações à ‘Sovetsky Sports’.

Precisamos voltar aos bons e velhos tempos, quando nós construímos a “Fórmula 1”, na forma em que a conhecemos hoje. Quando eu estava em uma posição muito mais forte. Quando eu era um ditador!“, declarou Ecclestone.

Ele também “culpou” o insucesso da categoria ao domínio Mercedes-Ferrari: “Temos permitido a Ferrari e Mercedes guiar-nos. Por que isso? Eles fornecem os motores a maioria das outras equipes e, claro, ter um grande impacto sobre eles”, afirmou.

Ecclestone segue muito pressionado e nomes para substituí-los passam a ganhar mais força. Na última semana o mais cotado seria Nikki Lauda, já que colocou suas ações da Mercedes a venda e isso poderia ter alguma relação em ser o grande chefe da Fórmula 1 em 2017. Jornais alemães também apontaram Alex Wurz, Davi Coulthard e Jean Todt como possíveis substitutos.