Ecclestone cogita deixar gestão após venda da Fórmula 1

Bernie Ecclestone não garante que continuará em seu cargo de chefe da Fórmula 1 se a venda para o Liberty Group de John Malone, magnata da mídia norte-americana, for concretizada.

A primeira parcela do acordo bilionário deverá chegar nesta quarta-feira, e comenta-se que Malone está disposto a colocar Chase Carey, executivo da 21st Century Fox, em uma posição de comando.

“Acho que o novo homem vai querer entrar e fazer algum barulho”, declarou Ecclestone ao ‘Daily Mail’ nesta semana. “Se eu não gostar desses barulhos, direi adeus”.

O britânico também disse ao jornal ‘Times’: “Recebi a oferta de um contrato para ficar e ajudá-los. Depende de eu querer fazer isso. Vamos ver”.

  • Ser Pimenta

    Já vai tarde. Na gestão deste sr preconceituoso a f1 perdeu o brilho, deixou de valorizar o melhor piloto, em pró da grana e mesmo assim não conseguiu crescer, muito pelo contrário, encolheu a cada ano, chegando ao ponto de precisar ser loteada e vendida. Ele diz que vai ajudar se quiser? Somente se os compradores forem bobos (que não são mesmo), a ajuda dele seria parelha a que uma certa ” presidenta” e seu partido prestaram a PETROBRAS. Ou seja: insolvencia.

  • Ser Pimenta

    Ferrou, parece q vai ficar mais algum tempo na F1. Pelo menos não será o chefão.