Doria volta a falar sobre o leilão de Interlagos, mas garante que GP do Brasil não está ameaçado

O GP do Brasil de Fórmula 1 em São Paulo não está ameaçado.

Essa é a alegação de João Doria, prefeito da cidade de São Paulo, apesar de Bernie Ecclestone ter deixado seu cargo de chefe executivo da F1 avisando que a corrida de Interlagos estava em dúvida.

De fato, o circuito está à venda; o próprio Ecclestone e a Pirelli já foram sendo ligados à compra.

Mas o prefeito Doria reafirmou que Interlagos continuará sediando o GP mesmo após ser vendido.

“Este provavelmente será o último GP do Brasil com a cidade ainda no controle”, declarou ele à Globo, referindo-se à corrida do próximo mês.

“No próximo ano, o circuito será leiloado. Porém, apesar do novo proprietário, o contrato com a F1 será estritamente cumprido até 2020”, afirmou ele.

“Nosso desejo é que a F1 continue em 2021, 2022 e por muito tempo. A ideia é que ela continue por três ou quatro décadas”, concluiu Doria.