Contra sua introdução, Red Bull testa “halo”

A Red Bull se tornou a segunda equipe da Fórmula 1 a testar o halo de proteção do cockpit nesta terça-feira em Silverstone, mas planeja votar contra sua entrada em 2017.

A Ferrari foi a primeira a avaliar o halo nos testes de pré-temporada, com uma versão atualizada chamada de “halo 2” sendo utilizada por Sebastian Vettel no começo dos treinos livres para o GP da Inglaterra na última sexta-feira.

Após uma única volta, Vettel levantou preocupações com a visibilidade e sugeriu que ainda há trabalho a ser feito no dispositivo de titânio.

A equipe de Horner construiu uma alternativa, o aeroscreen, que não foi aprovado nos testes de impacto da FIA. Por isso, o halo se tornou a opção preferida da federação, apesar de Horner novamente ter expressado suas preocupações com o sistema.

“É uma solução deselegante para tentar resolver o problema discutido”, declarou Horner, chefe de equipe da Red Bull, ao ser questionado sobre o halo após o GP da Inglaterra.

“Eu gostaria que houvesse mais tempo de pesquisa a fim de que o trabalho fosse feito adequadamente ao invés de apressar algo que pode ter outras consequências”.

“Não sou um grande fã do halo e das limitações que possui. Certamente, eu não votaria a favor de sua introdução no momento”.