Conselho Mundial dá luz verde para o novo sistema de definição do grid

A nova classificação eliminatória foi aprovada em seu formato original pelo Conselho Mundial de Automobilismo da FIA. O novo sistema deverá ser introduzido no GP de abertura da temporada na Austrália, apesar das preocupações da Formula One Management em relação à sua implementação devido a problemas de software.

Os três períodos de classificação serão mantidos, com o Q1 durando 16 minutos e o carro mais lento sendo eliminado após sete minutos, e então a cada 90 segundos até restarem os 15 que irão participar do Q2.

O segundo período terá 15 minutos e seguirá o mesmo processo do Q1, com o primeiro piloto eliminado depois de seis minutos até restarem oito.

No Q3 de 14 minutos, o primeiro piloto será eliminado após cinco minutos, com a sessão continuando até sobrar apenas o pole-position.

A ideia original foi aprovada depois de reuniões do Grupo de Estratégia e da Comissão da F1 na semana passada em Genebra, mas Ecclestone revelou posteriormente que a FOM poderia enfrentar dificuldades para passar as informações às emissoras de TV. Ecclestone sugeriu que, por causa desses problemas, o novo sistema poderia ser adiado, possivelmente não entrando em vigor antes do GP da Espanha em maio.

Nesta semana, surgiu a especulação de uma ligeira alteração no formato, com o Q1 e o Q2 adotando a configuração eliminatória, mas o Q3 mantendo o sistema que vem sendo utilizado desde 2006. Isso garantiria que os oito pilotos competissem o tempo todo, já que foram expressadas preocupações com o risco do número cada vez menor de carros ser pouco atrativo para os fãs.

Porém, em sua reunião desta sexta-feira em Genebra, o Conselho Mundial optou por adotar o formato totalmente eliminatório. Entende-se que a FOM informou a Ecclestone que tudo pode ficar pronto a tempo para o GP da Austrália.