Alonso: Não renovo meu contrato se a Fórmula 1 não voltar a ser o que era

Fernando Alonso diz que seu futuro depende das mudanças que supostamente irão revolucionar a Fórmula 1 no próximo ano.

2017 será o terceiro e último ano do contrato atual do espanhol com a McLaren-Honda, em meio à especulação de que andar no pelotão intermediário com carros que não o empolgam mais poderia fazê-lo encerrar sua carreira de 16 anos na F1.

“Os carros são menos competentes do que há alguns anos”, declarou Alonso à rádio espanhola ‘Cadena Cope. “Os tempos de volta estão bem mais lentos, os carros pesam 120 kg a mais do que há sete ou oito anos, o som mudou e os pneus Pirelli alteraram as corridas. Há vários fatores que tornaram as provas menos dramáticas, e creio que ninguém gosta disso”.

Quando lhe disseram que terá 36 anos quando seu contrato terminar e uma suposta aposentadoria chegar em 2017, Alonso sorriu: “Acho que você poderia correr com esses carros até os 50 anos. Eles não são exigentes. Com os carros antigos, você não conseguia dormir algumas noites devido à fadiga física. Nós fazíamos 1m16s e agora viramos 1m26s, então não é nada exigente”.

“No que diz respeito a quanto tempo ficarei na categoria, saberei no próximo ano, porque os carros terão alterações radicais. Eles querem torná-los mais velozes e isso pode mudar as coisas. Se os carros forem divertidos de pilotar e a F1 voltar a ser F1, será atrativa para qualquer piloto”, acrescentou Alonso.