Alfa Romeo desmente negociações com a Sauber

Sergio Marchionne reconhece que a Alfa Romeo deve buscar opções internas para qualquer potencial de retorno à Fórmula 1 em vez de olhar para as equipes existentes, tais como a Sauber.

No início deste ano Marchionne, CEO da empresa-mãe da Alfa, a Fiat Chrysler Automobiles, deixou claro que queria a marca de volta na F1 de alguma forma.

Com a perspectiva de retorno da Alfa ganhando impulso, surgiu uma potencial aquisição da Sauber. A equipe suíça está em dificuldades financeiras, com pagamentos de salários atrasando nos últimos dois meses.

Marchionne, no entanto, sugeriu que se a Alfa Romeo fizer um retorno, será como parte da organização Fiat Chrysler, ou com a própria Ferrari.

Quando perguntado sobre a especulação de um acordo entre Alfa Romeo e Sauber, Marchionne disse ao site ‘Autosport’: “Há, talvez, outras alternativas para a Alfa se quiserem voltar a correr”.

“Ela é uma prima muito próxima da Ferrari, e você deve começar a olhar para a sua família antes de olhar para fora”.

Fazem 31 anos desde que o nome Alfa foi dito na F1, competindo como uma equipe de fábrica entre 1979 e 1985, mas não conseguindo vencer nenhuma corrida.

Antes disso, Nino Farina e Juan Manuel Fangio usaram carros Alfa Romeo para ganhar os dois primeiros campeonatos do mundo de F1 em 1950 e 1951.

Seu outro programa importante na F1 foi como fornecedora de motores para a Brabham entre 1976 e 1979, numa parceria que trouxe duas vitórias com Niki Lauda em 1978.