Ainda há críticas sobre o barulho dos motores da F1

A Fórmula 1 ainda está a “quilômetros de distância” de ter um som digno da principal categoria do automobilismo.

Essa é a afirmação de dois especialistas, apesar dos esforços visando aumentar o volume da controversa era das unidades de potência.

Após críticas em 2014 e 2015, alterações no regulamento técnico de 2016 exigiram canos de escape extras. Alguns estimaram que o volume aumentaria em até 25%, mas o campeão mundial Lewis Hamilton não concorda.

“Você consegue ouvir a diferença?”, declarou ele ao ‘Mirror’ depois da abertura da temporada na Austrália. “Você precisa ter um ouvido muito bom para ouvir as mudanças. A diferença é zero. Acho que o som não está nem um pouco bom”.

Helmut Marko, consultor de automobilismo da Red Bull e um crítico ferrenho das unidades de potência, concorda.

“Você teria de mostrar muito boa vontade para identificar uma mudança”, disse ele ao jornal ‘Kleine Zeitung’. “Estamos a quilômetros do que deveria constituir o som da F1. Não está gritando, não é brutal o suficiente. O motor Honda tem um bom som, mas talvez apenas porque não está funcionando como os outros”.

  • Sidinei

    É o bicho vai pegar