Adrian Newey já recusou três ofertas da Ferrari: “Senti que era errado sair da Red Bull”

O chefe técnico da Red Bull, Adrian Newey, revelou que recusou três ofertas da Ferrari, a mais recente em 2014 que ele chamou de “proposta incrível”.

Newey afirmou que “teria um sentimento de culpa”, de erro, em deixar o time com as abordagens feitas pela Ferrari.

Newey se destaca como um dos designers de automóveis mais bem-sucedidos da história da F1, desfrutando de sucesso na Williams, McLaren e, mais recentemente, Red Bull.

Ele foi abordado pela Ferrari para se juntar como seu novo chefe técnico em 2014, as optou por assumir outro papel na Red Bull que lhe permitia explorar projetos fora da F1, incluindo um novo carro projetado em colaboração com a Aston Martin.

Falando para a ‘Sky Sports’, Newey revelou que recebeu “três ofertas sérias” da Ferrari em sua carreira no automobilismo, mas não se sentiu à vontade em deixar a Red Bull em nenhuma das ocasiões, incluindo a proposta recebente feita há quatro anos.

“Chegou perto três vezes”, disse Newey. “Inicialmente na minha carreira na IndyCar, onde a Ferrari decidiu construir um IndyCar, me ofereceram para se juntar como designer chefe em seu projeto, mas não senti que seria certo”.

“Então, muito mais sério, Jean Todt ofereceu-me para me juntar como diretor técnico em 1996. Naquele momento, eu tinha propostas para ficar na Williams, juntar-me à McLaren ou participar da Ferrari.

“Eu pensei muito sobre isso, mas eu tinha uma família jovem na época e decidi que queria ficar no Reino Unido”.

Com relação a oferta de 2014, Newey comenta em seu livro “How to Build A Car” (Como construir um carro), como a Ferrari fez dele um “um astro de cinema” com uma oferta “ridiculamente grande”, que duplicou seu salário na Red Bull – enquanto negociava com a Mercedes, eque mesmo com a baixa dos motores Renault sentiu “que seria errado” deixar o time.

 

“Ficou claro que a (fornecedora de motores da Red Bull) Renault estava muito atrás da Mercedes em particular e , até certo ponto, a Ferrari – sem nenhuma conclusão clara à frente”, disse Newey.

“A Renault não parecia estar disposta a colocar o dinheiro para realmente resolver o problema, o que era deprimente e preocupante.

“Eu estava em uma posição difícil. Eu não queria sair da Red Bull porque me sinto em casa e estou envolvido desde o início com Christian (Horner), construindo o time das cinzas da Jaguar para onde estamos hoje.

“Eu não queria sair, mas igualmente eu não queria estar na posição em que estávamos em relação ao departamento de motores.

“Foi uma decisão muito difícil. A Ferrari apresentou uma oferta incrível, muito atraente, e me causou muitas noites sem dormir, decidindo o que fazer e para onde ir.

“No final, senti que era errado sair da Red Bull”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *