Abiteboul: Precisamos de um melhor “equilíbrio” do motor

A Fórmula 1 precisa encontrar um “equilíbrio” melhor com as futuras regras de motor, já que as negociações continuam sobre o melhor caminho a seguir, de acordo com o chefe da Renault, Cyril Abiteboul.

A F1 usa unidades de potência V6 de 1,6 litros desde a temporada de 2014, como parte de um esforço “mais verde”, apesar de conversações sendo realizadas recentemente para discutir possíveis opções além de 2020.

Na reunião de março, envolvendo a FIA e as fabricantes, um “amplo acordo” foi alcançado para trabalhar na introdução de mecanismos mais simples, mais baratos e mais barulhentos.

Perguntado pela visão da Renault, Abiteboul disse: “Se eu quiser manter isso simples e curto – como este é um vasto campo – diremos que o motor ainda é importante em um carro”.

“Nós somos fabricantes de automóveis e o motor é o coração da indústria automotiva, então acreditamos que ele precisa ser o fator prevalecente na F1”.

“Tendo dito isso, precisamos encontrar um equilíbrio melhor do que a situação que temos agora, onde a ordem hierárquica do grid é basicamente o ranking dos motores, que não é saudável para a categoria”.

“Então, sim, precisamos de um melhor equilíbrio entre o motor como diferenciador de desempenho e o fato de que uma equipe com um chassi fantástico também pode ser extremamente bem-sucedida”.