Red Bull fala em começo de 2016 “desafiador”

Com a crise de fornecimento de motores do ano passado finalmente terminada, a Red Bull não descarta a possibilidade de permanecer na Fórmula 1 inclusive após 2020.

Christian Horner, chefe da equipe, disse à revista ‘F1 Racing’ que a situação de 2015 “certamente” poderia ter deixado a Red Bull sem motor neste ano.

Segundo ele, o proprietário Dietrich Mateschitz também estava “desiludido” com a categoria e sua direção, mas agora está pensando no “futuro a médio e longo prazo”.

Quando lhe perguntaram se “longo prazo” significa o atual compromisso contratual da Red Bull com a categoria até 2020, Horner concordou.

“Você nunca pode dizer nunca, depende da direção que a F1 seguir. Mas enquanto a categoria permanecer convincente e viável, não vejo nenhuma razão para não continuarmos”, declarou.

Horner afirmou que, após a crise competitiva e política de 2015, o futuro agora parece bem mais promissor para a Red Bull, apesar de ela continuar com o motor Renault.

“Nós provavelmente teremos um primeiro quarto de 2016 bastante desafiador, mas a situação deve melhorar a cada nova unidade de potência. De modo claro e realista, essa precisa ser a meta”.