Romain Grosjean afirma não estar usando a Haas como um trampolim para a Ferrari

Romain Grosjean insistiu que sua mudança para a Haas para a temporada 2016 não foi tomada com a visão de aumentar suas chances de correr pela Ferrari no futuro.

Depois de uma longa estada, Grosjean optou por deixar a Lotus, que depois disto foi comprada pela montadora francesa Renault, por uma vaga na recém-chegada Haas.

Tem sido sugerido que Grosjean mudou na esperança de eventualmente conquistar uma vaga na Ferrari, dada a relação da Haas com a equipe italiana, mas ele diz que este não é o caso.

“Eles (Ferrari) certamente coletarão todos os dados, e todos os feedbacks dos engenheiros – o melhor que posso fazer é fazer meu trabalho e dar o meu melhor”, disse Grosjean ao site americano ‘Motorsport.com’.

“(Mas) Não fui para a Haas para ir para a Ferrari. Este não é o ponto”.

“Eu fui para a Haas porque eu gosto do projeto. Eu acho que pode ser bem-sucedido. Esta é uma equipe americana, então há um grande mercado que será bom para a Fórmula 1”.

“Claro que o sonho é ir para a Ferrari (no futuro). A Ferrari quer bons pilotos, e se você for o melhor que pode ser, então você tem uma chance”.

Grosjean fará dupla na Haas em 2016 com o ex-piloto da Sauber, Esteban Gutierrez, que passou a temporada de 2015 como piloto reserva e de testes da Ferrari.