Ferrari: “Ainda é cedo para afirmar que haverá troca de pilotos com a Haas”

Sergio Marchionne, presidente da Ferrari, diz que sua associação com a Haas, equipe norte-americana que estreia este ano na Fórmula 1, não é nada mais do que uma parceria técnica.

“A Haas foi o resultado de um acordo particular onde agimos como fornecedores de soluções técnicas para ajudar uma nova equipe a iniciar suas atividades”, declarou.

“Estou eufórico por termos conseguido fornecer esse apoio técnico à Haas. Precisamos vê-la como uma equipe alinhada, mas não conectada, que fará tudo o que for necessário para correr. Não suponha que há algo além disso”.

A Haas terá Romain Grosjean e Esteban Gutierrez na temporada 2016, e ambos já deram a entender que a ligação com a Ferrari pode ajudar a garantir uma vaga na equipe italiana no futuro. Mas Marchionne insistiu que seria prematuro discutir a transferência de pilotos entre as equipes.

“No que diz respeito a Grosjean, gosto dele como pessoa, já o vi correr, mas não o conheço”, afirmou. “Seria incrivelmente prematuro e inadequado discutir a apropriação de pilotos de uma equipe para outra”.

“Estamos felizes com as escolhas que fizemos com Sebastian (Vettel) e Kimi (Raikkonen). Vamos ver o que acontece no final da temporada em relação à continuidade de nossa dupla. Precisamos discutir isso, mas nem sequer começamos. Estamos felizes para 2016”.