Sebastian Vettel espera dividir as Mercedes para continuar lutando pelo vice

Felipe Domingues, Guilherme Cardoso e Luis Fernando Ramos

INTERLAGOS – São Paulo (SP)

O alemão Sebastian Vettel participou nesta quinta-feira da entrevista coletiva organizada pela FIA, evento que abre oficialmente a programação do GP do Brasil de Fórmula 1.

O piloto da Ferrari falou sobre a sua disputa pelo vice-campeonato com o seu compatriota Nico Rosberg, da Mercedes, e aproveitou para brincar com Niki Lauda, que afirmou que a Ferrari já tem o mesmo nível de motor que a Mercedes.

Leia a entrevista:

PERGUNTA – Você foi muito autocrítico após o acidente no México, por que?

– Não havia nada de errado com o carro, foi um erro meu. Não acho que fui tão autocrítico, acho que fui apenas honesto.

PERGUNTA – Acha que dá para bater a Mercedes no ano que vem?

– É sempre difícil prever o que vai acontecer, mas é nosso objetivo. Claro, podemos ver o que está sendo feito nos bastidores, o que foi feito nesse ano e o que será feito para o próximo. Parece promissor e acho que daremos um passo à frente. Só saberemos quando colocarmos o carro na pista, e isso está longe de acontecer. Esperamos conseguir bons resultados aqui e em Abu Dhabi.

PERGUNTA – Quais as fraquezas e forças de suas equipes?

– Eu acho que o ponto forte é a paixão pela Ferrari dentro do time e dos fãs ao redor do mundo. A magia vermelha. Tivemos uma boa temporada, acho que podemos melhorar, mas isso vem com a prática. Espero que possamos faze-lo varias vezes no ano que vem.

PERGUNTA – A prova em Interlagos é crucial pelo vice?

– Sim, temos duas corridas ainda. A última não ajudou, mas terminar em segundo é melhor que terminar em terceiro. Então temos de tentar dividir as Mercedes e a melhor maneira de fazer isso é tentar fazer nosso trabalho e tentar crescer ao máximo.

PERGUNTA – Niki Lauda disse que a Ferrari é igual a Mercedes em motor, mas não em aerodinâmica. Concorda?

– Não somos iguais, porque senão a temporada seria diferente. Mas estamos felizes com os progressos feitos, criamos uma boa base para o futuro. O Niki não é o melhor para se confiar (risos). Ele da opiniões rápido e algumas fazem sentido, outras não. Mas se ele estiver dizendo isso melhor, é porque estamos chegando.

A programação oficial do GP do Brasil começa nesta quinta-feira, ainda que sem carro na pista, mas com as entrevistas coletivas organizadas pela FIA e que tem presença obrigatória dos pilotos convocados.

A F1Mania/LANCE! acompanha ‘in loco’, como fez ao longo do ano, a penúltima etapa da temporada 2015 da Fórmula 1 e esteve presente na entrevista coletiva.