Honda posiciona-se contra os “motores cliente”

A Honda não gosta da ideia do “motor cliente” da FIA para 2017. Apesar de estar enfrentando dificuldades no momento, Yasuhisa Arai, chefe da montadora japonesa na Fórmula 1, disse que a Honda decidiu retornar à categoria com a McLaren após uma ausência de seis anos por causa do regulamento atual dos motores V6 turbo.

No entanto, a fim de ajudar as equipes que não estão conseguindo bancar o alto custo dessa tecnologia, Jean Todt, presidente da FIA, apoiou a ideia de Bernie Ecclestone de trazer uma fornecedora independente de um motor biturbo de 2.2 litros, mais barato.

“Se a FIA quer trazer um motor inteiramente novo, isso significa que haverá dois motores diferentes na Fórmula 1?, declarou Arai à ‘Speed Week’. “Isso será difícil, pois tornará a categoria menos interessante e empolgante”.

Contudo, alguns acreditam que Todt só está apoiando a proposta de Ecclestone porque os outros esforços visando encorajar as fabricantes atuais a reduzirem seus preços para clientes fracassaram. Mas Arai afirmou que esse problema não é tão simples.

“Se você especifica um preço, é necessário entender o que ele cobre”, disse ele. “A situação é complexa. Portanto, precisamos de clareza sobre o que os 12 milhões mencionados por Jean Todt irão cobrir. Manutenção, suporte na pista, outras coisas?”