Wittmann é desclassificado na Corrida 2 em Zandvoort; Rockenfeller herda vitória

O piloto da BMW, Marco Wittmann, foi desqualificado em sua primeira vitória no DTM em 2017.

O atual campeão da série, Wittmann, venceu Mike Rockenfeller da Audi em uma batalha pela vitória em Zandvoort, levando a bandeirada oito décimos à frente de seu rival.

Mas o carro de Wittmann foi analisado no parque fechado após a corrida e ele foi desclassificado, já que a organização não conseguiu tirar a amostra de combustível residual de 1 kg.

Com isso, Rockenfeller foi promovido á vencedor da corrida, com Loic Duval na segunda posição e Mattias Ekstrom herdando o último lugar no pódio – apesar de ter terminado quase um minuto atrás de Wittmann.

A desqualificação é um golpe pesado para as chances de Wittmann defender com sucesso seu título de 2016, já que vitória o colocaria como um dos principais candidatos ao título.

A vitória de Rockenfeller é sua primeira desde 2015, e o coloca em terceiro lugar na classificação. Ele está com 110 pontos contra 128 de Ekstrom e 114 de Rene Rast.

O brasileiro Augusto Farfus largou na pole position, mas foi ultrapassado na Curva 1 por Wittmann, com Jamie Green tentando também a ultrapassagem sem sucesso.

Um pouco depois, Green saiu da pista enquanto perseguia Farfus, perdendo a terceira colocação para Rockenfeller, que subiu para segundo quando o brasileiro foi para os boxes em uma parada antecipada.

Enquanto a maior parte do grid trocava os pneus, Wittmann estava satisfeito com seu ritmo. Ele segurou sua parada até a volta 12 das 37, com Rockenfeller parando uma volta depois.

Rockenfeller estava a mais de três segundos de Wittmann, mas ele começou a reduzir a diferença gradualmente com a ajuda de seu companheiro da Audi Loic Duval.

Sendo o último piloto a parar nos boxes, Duval segurou Wittmann até a volta 26, com Rockenfeller aproveitando a oportunidade para “grudar” no atual campeão.

Wittmann teve então que segurar os ataques de Rockenfeller por várias voltas, mas o piloto da Audi usou quase todos os DRS sem conseguir uma aproximação efetiva – e acabou terminando 0.8s atrás.

Apesar de deixar sua parada para muito tarde, Duval voltou ainda na terceira posição, à frente de Mattias Ekstrom – e logo ficou mais rápido que o sueco, que lutava contra a falta de ritmo.

Duval, portanto, conseguia seu primeiro pódio na DTM, sem ter marcado nenhum ponto nas 11 corridas anteriores da temporada.

Ekstrom terminou 40 segundo atrás do terceiro colocado, enquanto recuperou o ritmo nas 10 volta finais – mas manteve firme a quarta posição, em grande parte devido aos esforços de seu companheiro da Audi, Nico Muller, que corria atrás do sueco defendendo sua posição e terminando em quinto à frente da Mercedes de Gary Paffet, e subindo para quarto e quinto lugares com a desqualificação de Wittmann.

Maxime Martin segurou o vencedor da Corrida 1, Timo Glock, com o brasileiro Augusto Farfus em oitavo. Jamie Green, da Audi, e Bruno Spegler, da BMW, fecharam o top 10.

 

Resultado – Corrida 2:

  1. Mike Rockenfeller (Phoenix/ Audi)
  2. Loic Duval (Phoenix/ Audi)
  3. Mattias Ekstrom (Abt/ Audi)
  4. Nico Muller (Abt/ Audi)
  5. Gary Paffett (HWA/ Mercedes)
  6. Maxime Martin (RBM/ BMW)
  7. Timo Glock (RMR/ BMW)
  8. Augusto Farfus (RMG/ BMW)
  9. Jamie Green (Rosberg/ Audi)
  10. Bruno Spengler (RBM/ BMW)
  11. Maro Engel (HWA/ Mercedes)
  12. Edoardo Mortara (HWA/ Mercedes)
  13. Tom Blomqvist (RMR/ BMW)
  14. Lucas Auer (HWA/ Mercedes)
  15. Robert Wickens (HWA/ Mercedes)
    OUT – Paul Di Resta (HWA/ Mercedes)
    OUT – Rene Rast (Rosberg/ Audi)
    DQ – Marco Wittmann (RMG/ BMW)